Antropologia e marketing digital, a união perfeita para sua empresa.

Passamos por uma transformação nas relações sociais nos últimos anos, igualmente, o marketing digital precisou se adequar à nova realidade. Nesse novo momento social e econômico os consumidores são os atores mais poderosos.

Em primeiro lugar, para se adequar à essa nova era, os profissionais de marketing devem lembrar que seu público alvo é composto,acima de tudo, por seres humanos que possuem defeitos e cometem erros.

Dessa forma, é extremamente necessário criar uma marca que reflita essas vulnerabilidades. As marcas devem ser amáveis e honestas admitindo os seus erros. Pois, nesse novo cenário, o principal objetivo é criar um sentimento de confiança e amizade com o cliente. 

Com o intuito de criar um marketing centrado no ser humano, foi adotada a antropologia digital. Inicialmente , temos que lembrar que a antropologia é uma ciência que se dedica ao estudo aprofundado do ser humano, é um termo de origem grega, formado por “anthropos”( homem) e “logos” (conhecimento).

A antropologia digital se dedica a entender como funciona a conexão entre humanidade e tecnologia digital e explora como os seres humanos interagem com as interfaces digitais. 

Um marketing criado a partir da antropologia digital, aborda seus consumidores como seres humanos completos, que pensam e possuem sentimentos. Dessa forma, preenchem as necessidades funcionais e emocionais dos consumidores, sem esquecer dos seus anseios e desejos.

Para incorporar a antropologia digital nas estratégias da sua empresa, use métodos como: Escuta Social, netnografia e pesquisa empática.


Escuta Social: 

Monitora o que vem sendo dito nas redes sobre sua marca. É usada principalmente para avaliar o marketing de conteúdo, além de identificar leads .

É ótima para gestão social do relacionamento com clientes, para identificar queixas e resolvê-las  antes que prejudiquem a imagem da marca. Em suma, a escuta social é uma ótima ferramenta, pois, capta a dinâmica social das comunidades. As pessoas são muito mais sinceras ao comentar em posts, entre seus grupos, do que respondendo entrevistas. 

Netnografia: 

Criada por Robert Kozinets , é um método que adapta a prática da etnografia para estudar comportamentos humanos em comunidades on-line. Imitando a etnografia, a netnografia emerge nas comunidades de forma discreta. Sendo essa a principal diferença entre a netnografia e a escuta social, pois os netnográficos realmente entram nas comunidades e desenvolvem empatia pelos outros membros. Com a permissão primordial dos membros das comunidades onde serão realizadas as pesquisas, os netnográficos emergem no exercício da escuta social. 

Pesquisa empática:

Conhecida como IDEO e Frog, a pesquisa empática exige observação pessoal, diálogo e uma colaboração entre pesquisadores e membros da comunidade. Dessa forma, é a que mais se parece com a etnografia tradicional. Para seu funcionamento, a pesquisa empática engloba vários profissionais, como psicólogos, antropólogos, engenheiros, projetistas de produtos e profissionais de marketing. Por serem de áreas diferentes, cada profissional terá sua atenção chamada por algum fator diferente. Geralmente, o resultado dessas pesquisas levam à criação de uma nova campanha de marca. 

A antropologia digital irá diferenciar sua marca , consequentemente, atrairá mais leads e sua competitividade se manterá

As mudanças ocorrem de forma rápida, todas as relações estão se concentrando no digital. 

Se adapte para não ficar para trás! 

Para mais textos, acesse nosso blog !

Até logo!

Privacidade